É por estes motivos que nunca deves comer atum enlatado! O nº 2 vai-te fazer desmaiar!

Quando conheceres o nº 2 não vais querer acreditar… Mas é a verdade!

Muitas pessoas consideram o peixe como sendo uma escolha saudável para as refeições. O que poderia ser melhor do que saborear um suculento filé de salmão ou uma truta fresca? No entanto, quando pensamos em atum, a maioria das pessoas pensa no enlatado, e o que elas não sabem, é que ele assim não é nada saudável.

Aqui estão 8 motivos para pensar duas vezes antes de comer atum enlatado no futuro:

1. Alto teor de sódio

Atum enlatado é particularmente popular entre atletas por causa do seu alto teor de proteína, que é benéfico para o crescimento dos músculos. Mas uma única lata de atum também pode conter 600 mg de sódio, o que pode causar pressão alta e até derrame.

2. Absorção de metais pesados

Atuns são predadores. Isso significa que eles comem peixes menores e, no processo, acabam por consumir muitos metais pesados, como por exemplo o mercúrio que se acumulou na cadeia alimentar. Quando as pessoas comem atum, elas também estão a comer esses metais. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, até mesmo pequenas porções de mercúrio podem danificar o sistema digestivo, rins, pele, sistema nervoso e sistema imunológico. Muito mercúrio pode aumentar o risco de ataques cardíacos em até 70% e causar dano cerebral, levando a problemas de concentração e problemas cognitivos. Apesar de, na maioria dos casos, a concentração de mercúrio nos peixes ser baixa e não chegar a causar tanta preocupação, sempre existem exceções.

3. Práticas de pesca terríveis

Os atuns são pescados com redes gigantescas, que resulta em muitos deles tendo uma morte torturante ao serem esmagados uns contra os outros quando a rede os puxa. Aqueles que chegam vivos ao barco levam pancadas até morrerem, antes de serem deitados para a câmara frigorífica. Os peixes menores, que não conseguem lutar, são jogados diretos na câmara e têm uma morte dolorosa por congelamento e sufocamento.

4. Criadouros de peixe gigantescos

A demanda por peixe continua aumentando no mundo inteiro, mas, ao mesmo tempo, a população de peixes esta a diminuir cada vez mais. Essa situação aumentou o número de cativeiros, e os criadouros são cada vez maiores. Nesses criadouros, o atum é mantido em condições restritas, engordado, morto e vendido.

5. Produtos químicos nocivos

Os oceanos estão atualmente muito poluídos e cheios de produtos químicos tóxicos que os peixes consomem passivamente. Entre esses produtos estão o bifenil policlorado e as dioxinas, que são substâncias cancerígenas. Atualmente, eles podem ser encontrados em tecidos gordurosos de muitas espécies de peixes.

6. Risco de intoxicação alimentar

Comer peixe pode ser perigoso. De acordo com o Centro Americano de Controle e Prevenção de Doenças, 75% dos casos de intoxicação alimentar mundo afora são causadas pelo consumo de frutos do mar. Aqui é importante ter em mente que a frescura e a preparação desses alimentos têm um papel importantíssimo na diminuição desse risco.

7. A pesca do atum mata golfinhos

O atum não é a única criatura marinha que é capturada nessas redes: golfinhos, tubarões e muitos outros animais acabam por morrer de forma dolorosa devido à pesca do atum.

8. Poluição dos oceanos

A indústria da pesca é responsável por uma grande parte da poluição da água mundial. As redes, polias e vários outros artefatos nos barcos de pesca são feitos de plásticos e metais, que acabam indo parar dentro da água. Essa poluição é mortal para a vida marinha, e especialmente para os pássaros, que confundem o plástico com alimento e acabam presos ou sufocados com eles.

Como pode ver, a pesca e o consumo de atum não é tão inofensivo quanto pensa, e é parte de um problema muito maior. As mortes horríveis que esses peixes têm e os riscos envolvidos ao comê-los também se aplicam a muitas outras espécies. Muitas pessoas justificam o seu consumo de peixe alegando que precisam dos benefícios advindos do consumo de ômega 3, mas existem outras maneiras de incluí-lo em sua dieta: semente de linhaça, chia, óleo de canola e de nozes são ricos nesses nutrientes importantes.

Mas se quiser saborear um peixinho de vez em quando, certifique-se de que ele venha de uma fonte sustentável. O meio ambiente e o seu corpo vão agradecer.


Segue a nossa página de facebook:




Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *