Pediatras fazem alerta importante! Sobre a radiação dos telemóveis e o risco de cancro nas crianças!

Pediatras alertam sobre a radiação nos telemóveis, pois o que parece um paraíso para as crianças com todos aqueles jogos, não é bem assim. Segundo uma pesquisa do Programa Toxicológico Nacional dos Estados Unidos, durante um período de dois anos, descobriu-se que os ratos sofreram danos no DNA, nas células do cérebro. Além disso, eles têm com uma elevada probabilidade de desenvolver tumores cerebrais e tumores malignos de células de Schwann no coração.

Mas para as crianças, os danos podem ser mil vezes piores. Para o toxicologista, Dr. Ronald L. Melnick, do Instituto Nacional de Saúde, os riscos para elas são maiores por causa de uma maior absorção da radiação dos telemóveis e de uma maior susceptibilidade a agentes que danificam os tecidos.

Porém, isso não é tudo. Um estudo egípcio antigo mostrou que ficar perto do aparelho aumenta as hipóteses de desenvolver dores de cabeça, problemas de memória, tonturas, depressão e insónias.

crianca_radiacao

Esses efeitos geralmente aparecem num curto espaço de tempo, mas já se sabe que há muitos outros danos que eles podem causar quando usados por um longo período. O caso é ainda mais grave para as crianças, já que ainda estão em fase de desenvolvimento.

O pior de tudo é que, a Comissão Federal de Comunicação estabeleceu um limite de radiação para cada telemóvel. O problema? Isso aconteceu em 1996 e não foi atualizado desde então. Sem falar que ele foi criado baseando-se em adultos de 20 anos e, não em crianças.

Logo, o limite é incapaz de considerar o efeito da radiação nelas e uma vez que o seu crânio é bem mais fino, acaba absorvendo-a muito mais rápido do que um adulto.

Pensando nisso que os pediatras alertam a todos os pais para que evitem tratar os telemóveis como possíveis brinquedos, esquecendo que eles são armas letais para qualquer criança.

Hoje, os médicos lutam para que um novo limite seja estabelecido, apesar de isso levar a uma possível “guerra” contra as companhias de comunicações.


Segue a nossa página de facebook:




Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *