Elogiada a forma “exemplar” como Portugal está a combater o vírus e chamam aos portugueses “Suecos do Sul”

Refere-se a Portugal como um exemplo a nível europeu na luta contra a pandemia da Covid-19 e apelida os portugueses de “suecos do sul”.

Num artigo publicado este domingo, o jornal espanhol “El País” refere-se a Portugal como um exemplo a nível europeu na luta contra a pandemia da Covid-19 e apelida os portugueses de “suecos do sul” pela “eficácia, disciplina e racionalidade“ das medidas aplicadas.

“Britânicos, suíços, holandeses ou alemães podiam aprender alguma coisa com Portugal, o país do sul e latino onde o coronavírus avança sob controlo”. Num artigo publicado este domingo, o jornal espanhol “El País” refere-se a Portugal como um exemplo a nível europeu na luta contra a pandemia da Covid-19 e apelida os portugueses de “suecos do sul” pela “eficácia, disciplina e racionalidade“ das medidas aplicadas.

No artigo assinado pelo jornalista Javier Martín del Barrio, o “El País” destaca que o Estado de Emergência em Portugal foi decretado praticamente ao mesmo tempo que em Espanha, com uma diferença crucial: enquanto em Espanha contava já com 6 mil infetados e 132 mortes, Portugal tinha “apenas 112 casos positivos, nenhum deles fatal”. Graças a isso, “os hospitais estão longe da saturação e os de campanha ainda nem foram estreados”.

“Os dados portugueses são muito mais encorajadores do que os da França, Reino Unido, Alemanha, Países Baixos, Bélgica ou Suíça, estereótipos da suposta eficácia, disciplina e racionalidade do norte da Europa”, destaca o jornal espanhol.

O Alentejo é, segundo o “El País”, “um caso excecional dentro do exemplo já excecional que é Portugal”. Isto porque, na região “do tamanho da Catalunha”, a Covid-19 “não conseguiu matar”. Até agora, os dados da Direção-Geral da Saúde (DGS) indicam que Portugal tem 16.585 casos de infeção confirmados e 504 mortes a lamentar. Até à data, o Alentejo continua sem registar nenhuma morte, apesar de contar com 139 casos de infeção.

O jornal indica ainda que Portugal foi “praticamente o último infetado da Europa” e que os dois primeiros casos positivos no país foram importados de Itália e Espanha. “Quarenta dias depois, existem apenas 16 mil casos e 470 mortes. Numa guerra sem acabar, os profissionais de saúde portugueses renunciam receber medalhas”zzzz, escreve.

“Seja pelos médicos, políticos ou pelo povo, Portugal está a lidar melhor que muitos países, ainda que a situação não seja ideal”, acrescenta Javier Martín del Barrio, dando conta de que “faltam testes, máscaras, gel desinfetante e os planos de prevenção”, sobretudo nos lares, onde há já vários casos de infeção pela Covid-19 registados.

Segundo o jornal espanhol, a união dos portugueses tem-se refletido nas ruas, onde a polícia “não controla, ‘sensibiliza’ e não multa, ‘recomenda’” e, em termos políticos, onde o Presidente da República e o primeiro-ministro põem de lado as suas divergências políticas.

“O coronavírus, longe de afastar instituições e partidos, aproximou-os. O presidente da República, Rebelo de Sousa (PSD) e o primeiro ministro, Costa (PS), complementam-se e, publicamente, esquecem as suas discrepâncias”, conclui.


Artigos Relacionados:

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.