Pouco depois da morte do pai, apercebeu-se do erro irreparável que cometeu…

Depois da morte do seu pai, é que se apercebeu do enorme erro que cometeu… Mas já era tarde demais parar o reparar…

A história de amor profundo que este pai sentiu pela filha entranha-se profundamente na pele. No entanto, também serve para abrir os olhos. Lê estas palavras que vêm directamente do coração:

erro_irreparavel_texto

“Eu lembro-me como se fosse ontem: Quando criança, o meu pai sempre me pedia para o ajudar a reparar algo. Quer fosse para apoiar a chave de fendas ou um parafuso perto dele, fosse o que fosse. Mas o que ele me pedia, não era ajuda propriamente dita, mas o fato de me ter por perto, para que pudéssemos conversar. Realmente eu não consigo lembrar-me de um momento em que o meu pai saiu com os amigos, parecia não tinha tempo para gastar com outras pessoas, nunca foi a bares. Após o trabalho sempre vinha directamente para casa e parecia muito feliz quando estávamos juntos.

Quando entrei na faculdade, ligava ao meu pai todos os domingos às dez horas. Pontual como um relógio suíço. E quando me casei, e a nossa nova casa estava quase terminada, lá estava o meu pai, a dar pessoalmente instruções aos pintores. Mesmo no sótão – mesmo com 36 graus à sombra! Tudo o que ele queria de mim era ter uma pequena conversa. Infelizmente eu estava muito ocupada para responder. Então, a conversa era unilateral … agora sei que cometi um erro.

Há quatro anos atrás, o meu pai veio visitar-me durante alguns dias. E, novamente, ele passou incontáveis horas a tentar construir algo para a família. Um balanço para a minha filha, ele estava no seu elemento. Ao entrar, ele pediu-me uma xícara de chá e um pouco de companhia. Mas queríamos ir de férias no dia seguinte, e eu estava novamente ocupada e monossilábica. Como pude ter sido tão cega e tão estúpida? …

No domingo passado, tivemos a nossa conversa normal ao telemóvel. Senti que havia algo diferente. O meu pai começou a pronunciar mal certas palavras e a confundir os dias da semana. Normalmente era muito preciso com compromissos e datas. Eu disse-me que talvez fosse apenas um mau dia e não dei muita importância . Mais uma vez: Um erro grave. Naquela mesma noite, recebi um telefonema do hospital. O meu pai tinha sido internado por causa de uma hemorragia cerebral. Assim que pude fui vê-lo. Durante a viagem desejava que me esbofeteassem fortemente … tantas oportunidades deixei escapar sem cuidar sele, sem lhe pegar no braço e falar um pouco com ele… E se agora fosse tarde demais?

Os meus piores temores concretizaram-se. Pouco antes de chegar ao hospital, o meu pai morreu de um coágulo de sangue na cabeça, e adormeceu para sempre. Estava paralisada e tentava dizer algo…. mas agora estava ali, tão infinitamente ansiosa para falar com ele de novo mas já não podia. A cada minuto que passava, ficava claro o quão pouco realmente sabia sobre os sonhos, os pensamentos e os medos deste grande homem.

Só então compreendi o que meu pai sempre quis: Que passássemos um pouco de tempo juntos e partilhássemos as nossas vidas. Nunca se sabe quando será tarde demais para isso. Foi assim que eu aprendi essa lição – e foi a viagem mais dolorosa da minha vida ..

Nós só temos esta vida. Portanto, podemos desfrutar de todas as suas facetas com todos os nossos sentidos; porque quando a cortina cai, não há volta a dar.”

Partilha esta mensagem importante com todos. Neste mundo, onde tudo se move a um ritmo vertiginoso, devemos valorizar as palavras que vêm directamente do coração!

Segue a nossa página de facebook:




Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *