O que acontece 16 anos depois se depositar os restos da fruta numa área sem florestação

Empresa de refrigerantes deposita cascas de laranja numa área sem florestação, 16 anos depois veja o que aconteceu.

A maioria das pessoas deita as cascas das frutas no lixo. No entanto, estes ecologistas descobriram que elas podem salvar o mundo… Tudo começou quando eles pediram cascas de laranja a uma empresa de refrigerantes para colocarem numa área sem vegetação. O que aconteceu depois foi incrível!

Em 1997, os ecologistas Daniel Janzen e Winnie Hallwachs apresentaram uma proposta a uma empresa de refrigerantes de laranja Del Oro, da Costa Rica. Se os donos doassem uma terra florestal completamente intocada à Área de Conservação Guanacaste, eles poderiam despejar suas cascas sem qualquer custo. O lugar onde eles despejariam as cascas de laranja era um pedaço de terra sem florestação.

A empresa de sumo de laranja concordou e achou que aquele era um óptimo negócio. Um ano depois, foram despejadas 12 mil toneladas métricas de cascas de laranja e restos de fruta. Este local ficou intocado por mais de uma década depois de ter sido coberto com o “lixo” da empresa de refrigerantes.

Depois de 16 anos, Janzen pediu a um estudante de pós-graduação chamado Timothy Treuer para inspeccionar o local e relatar suas descobertas. Apesar de procurar durante várias horas, o aluno não conseguiu achar o terreno descrito pela ecologista. Uma semana depois eles voltaram e descobriram o lugar exacto através das coordenadas. No entanto, quando perceberam que estavam olhando o terreno correcto, ficaram em choque.

Em comparação com a área circundante, aquele local parecia um verdadeiro paraíso. “Era difícil acreditar que a única diferença entre as duas áreas era um monte de cascas de laranja. Eles pareciam ecossistemas completamente diferentes”, diz o estudante.

A vegetação daquele lugar um dia sem vegetação estava agora incrivelmente espessa. A fruta descartada fez com que uma nova floresta renascesse das cinzas. Treuer e sua equipe da Universidade de Princeton estudaram aquela área nos três anos seguintes. Eles ficaram absolutamente impressionados com os resultados.

Nas plantações à volta, sem cascas de laranja, havia apenas uma espécie de árvore dominante. No lado com os restos de fruta, havia mais de duas dúzias de espécies de vegetação! Para além disso, o solo era melhor criando árvores fortes e saudáveis… tudo por causa das cascas de laranja!

Mas a maior descoberta desta pesquisa ainda estava para vir. Eles descobriram que o crescimento de uma floresta secundária, aquela que cresce após a primeira ser derrubada, é crucial para abrandar as mudanças climáticas. Isso porque elas absorvem e armazenam carbono 11 vezes mais rápido que uma floresta “antiga”.

De acordo com Treuer, se pudermos replicar esta experiência por todo o mundo, vamos ajudar a atmosfera do mundo a se restaurar…

Se quiser saber mais sobre este estudo, visite o site da Universidade de Princeton.


Artigos Relacionados:

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.