Plantas não crescem perto de routers de wireless! Devido ao mal que eles fazem!

Só por isto já dá para imaginar o mal que os routers de wireless podem fazer à nossa saúde.

Cinco jovens do 9º ano de uma escola na Dinamarca criaram recentemente uma experiência que está a causar um rebuliço na comunidade científica.

Tudo começou com uma observação e uma pergunta. Eles perceberam que se dormissem com os seus telemóveis perto da cabeça durante a noite, muitas vezes tinham dificuldade de concentração na escola, no dia seguinte.

Elas queriam testar o efeito da radiação do telemóvel em seres humanos mas a sua escola, Hjallerup Skole, na Dinamarca, não tinha o equipamento para lidar com esse tipo de experiência. Assim, planearam outra experiência que iria testar o efeito da radiação de telemóveis em plantas, em vez dos humanos.

Colocaram seis bandejas cheias de Lepidium sativum, um tipo de agrião, numa sala sem radiação, e seis bandejas de sementes em outra sala, ao lado de dois routers de wireless, que, de acordo com os cálculos deles, emitiam sobre as plantas o mesmo tipo de radiação de um telemóvel comum. Durante 12 dias observaram, mediram, pesaram e fotografaram os seus resultados.

wifi_plantas_2

Entretanto, ao final da experiência os resultados foram evidentes – as sementes de agrião colocados perto dos routers não tinham crescido. Muitas delas estavam completamente mortas. Enquanto as sementes de agrião plantadas na outra sala, longe dos routers, germinaram.

wifi_plantas_3

As meninas receberam honras numa competição regional de ciência, com a apresentação desta experiência, e interesse de cientistas de todo o mundo.

wifi_plantas_4

De acordo com Kim Horsevad, o professor da Hjallerup Skole na Dinamarca, onde a experiência com os agriões ocorreu, um professor da neurociência no Instituto Karolinska, na Suécia, está interessado em repetir a experiência, em ambientes profissionais científicos controlados.

Essa experiência vai dar muito que falar ainda. Aguardem!

Fonte: tudosobreplantas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.