Cientistas acreditam ter encontrado a cura para a caspa! E ela pode estar no teu frigorífico!

Segundo cientistas, a produção de caspa está diretamente ligada à presença de bactérias no couro cabeludo.

Dessa forma, uma possível loção feita à base de iogurte, de acordo com um grupo de pesquisadores chineses da Universidade de Jiao Tong, em Xangai, pode corrigir o equilíbrio bacteriano e garantir um tratamento eficaz para esse problema tão comum.

Para chegar a causa da caspa, os cientistas recolheram amostras do couro cabeludo de 59 pessoas, com idades entre 18 e 60 anos. Por muito tempo a caspa tem sido atribuída a um fungo chamado Malassezia. Contudo, enquanto ele era comum nas amostras, os níveis de sua presença não variaram entre os que tinham caspas e os que possuíam o couro cabeludo saudável e sem caspa.

caspa

Dessa forma, as pessoas com caspas tinham uma maior quantidade de um grupo de bactérias chamado Staphylococcus, e muito menos de Propionibacterium, uma outra espécie, de acordo com os resultados publicados pela Scientific Reports. Além disso, os escalpos dos entrevistados que tinham caspas também se mostraram mais secos e menos oleosos.

Segundo eles, conforme relatado pelo jornal Mail Online, embora ainda seja muito cedo para afirmar, uma máscara capilar feita à base de iogurte probiótico, já soa como um tratamento tentador e pode levar a produção de muitos outros. “Ajustar o equilíbrio das bactérias no couro cabeludo, principalmente através do reforço da Propionibacterium e extinção da Staphylococcus, pode ser uma potencial solução para diminuir a caspa.

caspa_2

No entanto, o especialista Dr. Bernie Hudson, da Universidade de Sydney, na Austrália, advertiu que essa ideia precisa de um pouco mais de profundidade e compreensão. “Alterar a concentração de uma espécie de bactéria em relação a outra pode não ser terapêutico, pois podem haver outros organismos ali que sejam importantes”, disse. “Mas, é definitivamente um bom começo”, salientou.

Fonte: Daily Mail

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.