É por isto que nunca deves fazer cócegas aos teus filhos! É mais perigoso do que imaginas!

Muitas pessoas nem imaginam, mas as cócegas podem ser mais perigosas do que pensam!

Cócegas sempre nos lembram risos e brincadeiras.

O problema é que, em excesso, o que pensamos ser prazeroso pode ser uma verdadeira tortura – principalmente para as crianças.

O biólogo Richard Alexander, em artigo no New York Times, fala bem sobre isso e afirma que as cócegas podem ser mais perigosa do que imaginamos.

Se voltarmos na história, podemos ver que a dinastia Han, na China, usava as cócegas como uma forma de tortura perfeita, pois causava sofrimento sem deixar marcas.

Estamos falando disso para que todos estejam cientes e respeitem o limite do corpo.

Muitos pais e irmãos mais velhos gostam de brincar com os pequenos fazendo cócegas, mas é importante parar quando a criança pedir.

Além de poupar a criança do desconforto, também a ensinamos algo importante: que cada um deve ter o controle sobre o próprio corpo.

O assunto até viralizou com um texto publicado nas redes sociais nos Estados Unidos.

Um pai disse que, ao fazer cócegas em seu filho e a criança pedir para parar, ele parou e aproveitou o momento para ensinar que os homens devem fazer o mesmo diante de qualquer pessoa mais frágil: respeitar a decisão dela em relação ao próprio corpo.

É claro que existem crianças que simplesmente adoram a brincadeira com cócegas.

Então, neste caso, tome algumas precauções:

  • Se o seu filho for muito pequeno e não souber falar, evite.
  • Afinal, ele não terá como lhe dizer que aquilo está a incomodá-lo.
  • Só se houver consentimento, é que deve fazer, e bem suavemente.
  • O ideal é simular as cócegas, fazer de conta que está a fazer.
  • Como já orientamos, saiba parar quando alguém pedir.
  • Apesar de a surpresa parecer divertida, procure demonstrar que vai partir paras as cócegas para que a pessoa se prepare.

Enfim, saiba respeitar o limite e entender o que é realmente uma brincadeira.


Segue a nossa página de facebook:




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *